“Olha aí, freguesia!”

O que a Live Commerce e o carro da pamonha têm em comum? Calma, vai fazer sentido. Segue esse raciocínio com a gente.

O e-commerce brasileiro está vivendo a maior inovação desde o seu surgimento. Nos primeiros meses de pandemia, enquanto a gente via pequenos negócios articulando a abertura das suas lojas virtuais e muitas pessoas fazendo sua primeira compra online (da vida!), alguns segmentos já começaram a arregaçar as manguinhas pra introduzir no seu modelo de negócio o formato de compra por streaming.

Mas o que é isso?

São transmissões ao vivo em que as marcas apresentam produtos, testam e tiram dúvidas do público. Muito parecido com a experiência na loja física. Tudo é vendido direto na plataforma da live com pagamento integrado! A inspiração vem da China, mais especificamente da plataforma Tao Bao Live, do Alibaba. Em junho de 2020, numa espécie de black friday local, a plataforma vendeu cerca de 740 milhões de dólares no primeiro dia.

UAT?

Os números do mercado chinês nesse formato impressionam muito e no Brasil as live commerces tem tudo para alcançar o faturamento do e-commerce tradicional nos próximos anos. Mas como a gente pode se preparar pra isso? Um dos segredos desse formato é o senso de comunidade e a capacidade do engajamento alavancar descontos expressivos. O resultado é a compra entre amigos virando quase uma brincadeira pra conseguir a melhor oferta.

Outro viés interessante, principalmente com o atual cenário de pandemia e isolamento social, é entendermos que esse formato tem a capacidade de substituir a experiência na loja. Com um bom speaker, é possível simular a experimentação individual, tirar dúvidas sobre tamanhos, features, dar dicas e até comparar 2 ou 3 produtos pra recomendar a escolha certa. Comprar um filtro de barro ou um purificador de água? Quais os produtos ideais pro meu skincare? O que levar em uma mala de viagem pra passar 7 dias longe de casa? Todas essas perguntas já podem ser respondidas em uma live commerce, encurtando a jornada de compra pra que ela aconteça totalmente dentro da mesma plataforma.

Um elemento chave pro sucesso de vendas na live commerce é quem está conduzindo e interagindo com o público. Dois fatores são fundamentais:

  1. Ter domínio do produto, saber responder as dúvidas do chat e promover uma experiência agradável e acessível. Quanto mais especialista no assunto, mais chance de ser um sucesso.
  2. Autonomia pra liberar os descontos, de acordo com o engajamento da audiência. Ter uma margem de negociação pré-definida antes do go-live permite que o público se sinta recompensado por interagir. Tipo aquele sentimento de ter feito um ótimo negócio depois de conseguir pechinchar a pamonha pra levar 3 pelo preço de 2. Qualquer semelhança, não é mera coincidência.

Agora, voltando pros números porque eles são mesmo muito impressionantes: a projeção de faturamento mundial em live commerce durante 2020 foi de 170 bilhões de dólares. Com isso, a gente também se pergunta: como evitar que o sucesso desse formato perca o controle a ponto de criar um novo vilão do consumismo?

A gente acredita que o principal diferencial das Live Commerces é prestar serviço pra aumentar a qualidade da compra e dar a segurança de ter feito a melhor escolha. E são exatamente esses os princípios da compra consciente. Se juntarmos isso ao poder de negociação que um grupo pode alcançar em compras coletivas, todo mundo ganha desconto pra não faltar dinheiro pros boletos no fim do mês. Demais, né?

Por ver todo o potencial desse formato e por conhecer o mercado brasileiro é que, ainda em 2020, a gente estreou com a Alive.haus. Uma plataforma de live commerce lançada pela Huia com parceria da Brooke nas produções. Dos formatos mais simples até os grandes eventos, nossa experiência produzindo pro streaming shop já mostrou que esse é o próximo nível quando se fala em venda online no Brasil.

*Spoiler Alert! Em 2021 tem muito mais marcas entrando nessa com a gente.

Quer saber se as live commerces podem ajudar seu negócio? Entra em contato pelo e-mail atendimento@brooke.haus ou vem de DM que a gente conta tudo e pensa junto em um jeito de fazer bonito e vender muito com a melhor estratégia pra sua marca (ou o seu cliente!). ;)

Texto por Bruna Rodrigues e Lili Ennes

--

--

--

real time content studio

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Brooke Haus

Brooke Haus

real time content studio

More from Medium

4 Effective Ways to Improve Your Wedding Limousine Experience in Toronto

Shared Pref

Where is the Housing Market Going in 2022?

Where are the Parks in Buena Park?